MS Project

Todos os gestores de projecto usaram, usam ou vão usar o MS Project. É quase como os programadores (no meu tempo) começarem por aprender a programar no Turbo Pascal.

Recordo-me perfeitamente de na altura achar o Turbo Pascal bastante limitado embora cumprisse os requisitos mínimos para o objectivo que era aprender a programar.

Na minha opinião, o MS Project acaba por ser um pouco o Turbo Pascal da gestão de projecto. Assim que começamos a fazer um planeamento o MS Projecto acaba por ser o software escolhido/imposto em 90% dos casos e é um software que, tal como o Turbo Pascal, é bastante limitado e cumpre apenas os requisitos mínimos.

O MS Project é um software lento, pesado e a partir do momento que usamos o MS Project 2007 e trabalhamos com ficheiros da versão 2003 (pois nem toda a gente tem a última versão) é o caos total porque após gravar um ficheiro meia dúzia de vezes o MS Project começa a dar mensagens de erro sem mais nem porquê.

Chateia-me ver que o MS Project é um dos patinhos feios da Microsoft. E digo patinho feio porque se olharmos para o MS Word, MS Excel, MS Powerpoint ou até o MS Access vemos claramente que o MS Project apenas está ao nível destas ferramentas no nome (neste caso é o “2007”).

Sei que existem outras soluções no mercado (inclusivamente open-source) mas não é propriamente fácil utilizar uma dessas ferramentas pois acabamos sempre por esbarrar em constrangimentos de políticas de empresa, preços ou fiabilidade.

É caso para dizer que ainda está para vir uma boa ferramenta de criação de cronogramas.

Até para a semana.

Anúncios