soft skills

Um gestor de projecto tem que ter um determinado conjunto de soft skills que permitam exercer correctamente a sua função, o seu papel.

As soft skills não se aprendem no PMBoK ou noutro standard de referência. É quase como algo que se tem ou não se tem. Não é nada que possa ser estudado. Com o tempo pode ser aperfeiçoado mas a verdade é que são características intrínsecas e que não são passiveis de serem estudadas ou decoradas.

As principais soft skills de um gestor de projecto são:
– Liderança (um líder);
– Comunicação (um comunicador);
– Capacidade de Gestão/Coordenação;
– Inovador, tecnicamente competente, respeitado, admirado e informado;
– Imune ao stress, à pressão;
– Objectivo/Assertivo;
– Negociação (um negociador/mediador);
– Sénior.

Efectivamente não existe um manual que nos explica a sermos lideres ou a termos resistência ao stress. São características que são desenvolvidas durante a nossa vida pessoal, académica e profissional.

Sem estas características um gestor de projectos não pode gerir projectos de forma eficaz e eficiente.

Claro que nem todos os gestores de projecto terão todas as características desta lista, ou a terem com certeza que serão melhores em determinados itens do que nos restantes.

Procurei com este post atingir 2 objectivos: em primeiro lugar traçar um perfil de um gestor de projectos e em segundo demonstrar que nem todos estamos talhados para sermos gestores de projecto. Notem que este segundo objectivo não tem nada de pedante, pois existem imensas (se não mesmo todas) profissões/funções que exigem um determinado tipo de soft skills para quem as exerce. A gestão de projecto é apenas uma entre muitas que tem um sub set de soft skills muito específico.

No próximo post irei dar ênfase à progressão de carreira de um gestor de projecto.

Até para a semana.

vencimentos

Com a crise que vivemos lembrei-me de investigar um pouco sobre os ordenados portugueses e da nossa vizinha Espanha no que toca a Gestão de Projecto.

Podem ver os salários portugueses aqui.

E os espanhóis aqui.

É interessante perceber que efectivamente a função de gestor de projectos é das mais bem pagas no mundo das TIs.

O mais curioso nestes dados é vermos que o “fosso” entre o vencimento do gestor de projecto e os programadores é bastante maior em Portugal do que em Espanha. E no que toca aos programadores seniores em Espanha não existe diferença significativa e em Portugal a diferença ainda é grande.

Não vou tirar grandes conclusões dos dados que aqui exponho até porque valem o que valem. Apenas assinalo o que já começa a ser de conhecimento geral, ou seja, em Portugal existem maiores desigualdades do que em Espanha. E pelo que vemos destes valores, não compensa irmos para Espanha exercer o cargo de gestor de projecto visto a “vida” ser bastante mais cara em Espanha do que em Portugal e os vencimentos serem praticamente iguais. Já se sabe que cada caso é um caso, mas de forma generalizada não compensa emigrar para Espanha.

Acho contudo que os espanhóis são muito mais justos que nós. Pois se é verdade que uma equipa de projecto sem um gestor não vai a lado nenhum, não deixa de ser também verdade que um gestor sem uma equipa também não é um gestor.

Até para a semana.