Agile is still Dead :: Portugal – Brasil, Cafe com Rey

It was last Saturday that I got an invitation to be the speaker on a very friendly and informal meetup named, Cafe com Rey. It’s a small community of Brazilian Agilists scattered between Rio de Janeiro and Joao Pessoa.

My biggest take away from this moment is: if you are open and willing to help amazing things happen.

And why is that? It was on the previous Saturday before the meetup that I got a LinkedIn message from Rey asking me if Agile was really dead. When I got the message I had three options:

  • Ignore
  • Reply without being open to continue the interaction
  • Reply with openness to continue the interaction

If you know me by now, you know that I went for the third option, and so that’s how I got to meet Rey (an amazing person) and the rest of the group, and I also had the change to refresh my Agile is Dead presentation.

After 3 years of delivering my first “Agile is Dead” presentation, I updated the title of the talk to “Agile is still Dead” and I revisited some slides.

And so this is it. Even today I’m still amazed how replying back to a LinkedIn message, open to interact, with genuine interest, led me to make another talk, meet new people and have a good time on a Saturday. A lesson for life. ūüôā

Here is the talk Agile is still Dead in case you are interested in peeking the slides.

See you soon!

Comunica√ß√£o em equipas √Āgeis: Desafios e Conquistas

Aconteceu no passado sábado o evento de referência da IPMA Young Crew Portugal, o PM4ALL, em Lisboa.

Foi um evento muito interessante onde tiver oportunidade de conhecer a Marisa “the Lucky PM” Silva, a Andreia Henriques e onde revi v√°rios amigos. Parecia que estava em casa. ūüôā

O dia foi muito bem passado com sess√Ķes (pain√©is e apresenta√ß√Ķes) excelentes. Gostei imenso da apresenta√ß√£o sobre Rapport da Ana Ma√ßas e da Lara Cunha.

Tive tamb√©m oportunidade de abra√ßar a Sara Batalha o que foi, no m√≠nimo, inesperado! ūüôā

A apresenta√ß√£o que foi simplesmente overwhelming pelo conte√ļdo e pela forma super original foi a do Eduardo Espinheira que fez-me ganhar o dia. Ligar Gest√£o de Projeto com o “Principe” de “o tio” Nicolau Maquiavel e n√£o dizer uma √ļnica palavra durante uma apresenta√ß√£o foi realmente uma li√ß√£o de creatividade e de como estar em palco.

A minha apresenta√ß√£o foi sobre comunica√ß√£o (o tema do PM4ALL deste ano) e equipas √°geis e tinha como t√≠tulo “Comunica√ß√£o em equipas √Āgeis: Desafios e Conquistas“. Abordei o tema mostrando que a pobre / falta de comunica√ß√£o √© um dos maiores motivos de insucesso dos projectos, demonstrei como √© dif√≠cil comunicar (por causa da diversidade de canais dispon√≠veis, das emo√ß√Ķes, da urg√™ncia, da efetividade e do efeito “telefone estragado”) e como o facto de termos equipas grandes torna a comunica√ß√£o muito dif√≠cil dentro da equipa. Falei do livro “The Mythical Man-Month” de Fred Brooks e falei sobre equipas co-localizadas e remotas.

Tive imensa pena de ter de “fugir” √†s 17h00 de volta para o Porto mas a um S√°bado n√£o tinha margem para ficar at√© ao fim do evento.

Foi um evento espetacular, organizado exclusivamente por pessoas em regime de voluntariado, e que n√£o me deixa d√ļvidas que para o ano ainda ser√° melhor. Recomendo!

Aqui ficam duas fotos da praxe:

At√© para a semana. ūüôā

Agile is Dead :: Aginext London 2018

A segunda edição da conferência Aginext aconteceu, em Londres, nos passados dias 22 e 23 de Março.

Os keynotes foram do Dave Snowden¬†(primeiro dia) e do Antony Marcano¬†(segundo dia). Tanto uma apresenta√ß√£o como a outra foram muito insightful. O Dave explorou a entrada no mundo Agile por parte das McKinzeys e Gartners da vida e como isso ir√° afetar as “Agile boutiques”. O Antony explorou um novo conceito, que tem constru√≠do com Kent Beck (pai do eXtreme Programming), chamado eXplore, eXpand e eXtract.

Umas das talks que mais gostei foi sem d√ļvida a talk do Dan (KanbanDan) Brown: Scrum is from Mars, Kanban is from Venus. Cada vez mais estou convencido que (de uma forma gen√©rica) o Kanban consegue ser mais eficiente do que o Scrum nas organiza√ß√Ķes.

Em termos de regular talks/workshops destaco alguns speakers que estiveram muito bem:¬†Richard Atherton,¬†Dean Latchana,¬†Roy Marriott and Portia Tung (autora do livro¬†“The Dream Team Nightmare: Boost Team Productivity Using Agile Techniques”),¬†Andrew Spence (Agile¬†em auditoria),¬†Torbj√∂rn Gyllebring e¬†Toby Sinclair.

Os temas foram muito pertinentes e variados; falou-se do futuro do Agile com especial enfoque em Kanban, Coaching, Comunicação e Transformação ágil.

A minha¬†talk “Agile is Dead” foi¬†muito bem recebida e tive inclusivamente o privil√©gio de ter a Liz Keogh a tweetar sobre a minha talk.

agile is dead :: me on stage

 

Pouco depois da minha talk tive a honra de ser convidado para abrir o painel¬†“Why Agile Transformations Fail” com o Dean Latchana.

Panel Debate - Why Agile Transformations Fail by Dean Latchana

Foi um evento muito muito bom. Parabéns ao David Gimelle e ao resto da equipa pela organização.

A comunidade √°gil Inglesa (e n√£o s√≥ visto terem estado v√°rias pessoas da comunidade Alem√£) √© realmente muito interessada e din√Ęmica.

√Č engra√ßado que sempre que estou em Londres fico com nostalgia dos dias que vivi nesta cidade. ūüôā

Até para a semana.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Lean em engenharia de software

Como eu costumo contar¬†nas minhas¬†apresenta√ß√Ķes, comecei a minha navega√ß√£o por mares √°geis em 2010. No come√ßo dediquei muito tempo ao Scrum, depois ao Extreme Programming e finalmente ao Kanban. O scaling scrum nunca mereceu muito da minha aten√ß√£o at√© porque em 2010 a √ļnica framework que existia de scaling scrum era o simples (mas extremamente eficiente) “Scrum of Scrums”… que at√© √† data √© a unica framework totalmente gratuita, sem cursos associados e sem livros escritos.

Lean sempre foi algo que me interessou minimamente mas n√£o o suficiente para desviar a minha aten√ß√£o do Agile. E ao contr√°rio do que muitos escrevem, para mim Agile e Lean est√£o ao mesmo n√≠vel de grandeza, s√£o dois mindsets, duas disciplinas independentes, n√£o opostas, com uma zona comum. Aqui fica uma imagem (afinal vale mais do que mil palavras) do que eu acredito ser a “rela√ß√£o” entre Agile e Lean:

Ultimamente, talvez por ter come√ßado a ser um entusiasta de SRE, DevOps e Opera√ß√Ķes, tenho focado a minha aten√ß√£o mais em Lean e menos em Agile. E se antes achava que tinha uma boa ideia do que era Lean aplicado a Software engineering… s√≥ depois de ler:

  • “The Phoenix Project: A Novel about IT, DevOps, and Helping Your Business Win”;
  • “The DevOps Handbook:: How to Create World-Class Agility, Reliability, and Security in Technology Organizations”;
  • “Personal Kanban: Mapping Work | Navigating Life”.

é que realmente percebi como sabia bem menos de Lean do que achava.

Lean √© extremamente poderoso e apaixonante. √Č uma ferramenta “diferente” do Agile mas que qualquer profissional de IT devia ter na sua toolbox.

Como eu acredito em¬†walk the talk, eat your own dog food, lead by example, practice what you preach,¬† criei o meu personal kanban board com a ajuda desta ferramenta. Ao final de algumas semanas posso dizer que n√£o s√≥ fiquei mais organizado, como tornei-me tamb√©m menos ansioso. O poder da visualiza√ß√£o e de limitar o trabalho em progresso (WIP) √© realmente fant√°stico. ūüôā

Até para a semana.

 

Agile Portugal 2017 :: Unlearn your CSM

Mais um ano… e mais um Agile Portugal que passou.

Este ano foi a 8 edi√ß√£o (o evento come√ßou em 2010) e voltou pela segunda vez √† cidade de Lisboa. A primeira vez que este evento foi organizada em Lisboa foi em 2013 e foi exatamente nesse ano que fui speaker pela primeira vez. Estava longe de imaginar que iria ser speaker tamb√©m nas 4 edi√ß√Ķes seguintes.

Apesar de gostar imenso da cidade de Lisboa (vivi na capital cerca de 8 anos) o evento Agile Portugal fica sempre a saber a pouco quando √© organizado √† beira Tejo. Arrisco-me a dizer que nas duas vezes que o evento foi em Lisboa tivemos cerca de metade da assist√™ncia comparando com os eventos organizados no Porto (em Leiria tamb√©m n√£o tivemos muitas pessoas mas tendo em conta a cidade e o que representou para a Catarina Reis valeu bem a pena ser organizado l√°!)… por isso n√£o √© de admirar que das primeiras coisas anunciadas no evento deste ano foi que o Agile Portugal voltaria √† cidade invicta em 2018.

Em rela√ß√£o ao evento propriamente dito… para al√©m de ter poucas pessoas a assistir… as talks acabaram por n√£o trazer nada de muito novo para a comunidade.

Eu na minha talk “Unlearn your CSM” fa√ßo uma an√°lise (fria mas honesta) de como o Scrum est√° neste momento e o que acho que estamos a fazer de errado (como comunidade) para o Agile e o Scrum n√£o ter bastante mais sucesso do que o observado.

A minha talk foi bastante diferente do normal… onde acabei por expor v√°rias opini√Ķes sentidas por v√°rios membros da comunidade mas que nunca tiveram oportunidade de verbalizar.

unlearn your csm

Podem ver a minha apresentação aqui.

Creio que enquanto comunidade dev√≠amos entrar num per√≠odo de reflex√£o (Inspect) antes de tomarmos qualquer ac√ß√£o (Adapt) pois tenho a opini√£o que a situa√ß√£o do Agile e do Scrum em Portugal n√£o est√° t√£o “cor-de-rosa” como as pessoas pensam / dizem… e claramente temos de ajustar o rumo antes que o Agile e o Scrum ganhem uma reputa√ß√£o negativa e seja tudo posto em causa.

Até para a semana.

[Open Source] Trainings

Hoje partilho o material que utilizei até hoje para dar formação em Agile e Scrum.

J√° partilhei anteriormente:

Em rela√ß√£o aos trainings utilizei as seguintes apresenta√ß√Ķes:

E mostrava os seguintes videos:

Nas 10 apresenta√ß√Ķes que aqui disponibilizo tenham sff em considera√ß√£o que foram elaboradas em anos diferentes com graus de conhecimento diferentes… por isso √© natural que vejam temas ou repetidos ou que n√£o concordem com a sua abordagem. ūüôā

Com este post termino a disponibilização do meu material para a comunidade (open source).

Espero que vos seja √ļtil.

Até para a semana.

Agile Connect Aveiro :: Scrum: From the Books to the Reality

Na passada quarta feira tive a honra de inaugurar o meetup Agile Connect Aveiro.

O¬†Agile Connect √© uma entidade, especial, que me diz muito porque fiz parte do grupo inicial que deu origem a este “movimento” espectacular.

A talk que dei em Aveiro chama-se¬†“Scrum: From the Books to the Reality” e, n√£o sei se devido √† minha idade ou n√£o (estou a ficar velho), explora o lado B do Agile e do Scrum em termos de adop√ß√£o, transi√ß√£o e utiliza√ß√£o.

O que quero eu dizer pelo lado B? Basicamente √© o lado que raramente √© falado… ūüôā

Até para a semana.

[Open Source] Workshops

Depois de ter partilhado as perguntas que fa√ßo numa entrevista de Scrum Master e nos KPIs que costumo ter em conta em equipas √°geis venho hoje divulgar os “meus” workshops. Digo “meus” (entre aspas) porque nenhum deles √© de minha autoria. Todos os workshops que coloco aqui s√£o workshops com que me deparei desde 2010 e que achei interessantes o suficiente para fazerem parte da minha toolbox.

Aqui estão eles (nomes e slides em Inglês):

Espero que achem estes workshops √ļteis. ūüôā

Se tiverem d√ļvidas em rela√ß√£o ao prop√≥sito ou √† din√Ęmica de qualquer um deles digam-me que tenho todo o gosto em esclarecer.

Até para a semana.

[Open Source] Agile KPIs

Este é o segundo post em que vou (continuar a) disponibilizar o material que fui criando ao longo da minha carreira.

Tal como anunciei no post anterior achei que estava na hora de dar um contributo à comunidade Agile e hoje vou disponibilizar os KPIs de uma equipa de Scrum.

Aqui fica a primeira vers√£o.

E aqui a segunda versão (com gráficos desenvolvida a posteriori).

Os KPIs s√£o sempre um “hot topic”:

  • ora porque n√£o podem / devem ser comparados entre equipas (apenas deve ser comparado com o hist√≥rico dessa mesma equipa… tal¬†como os story points!)
  • ora porque cada indicador por si s√≥ nenhum ou pouco valor tr√°s… s√≥ mesmo a correla√ß√£o entre v√°rios KPIs nos permite retirar insights em rela√ß√£o a uma equipa.

Havia muito mais a dizer sobre KPIs… mas n√£o √© esse o objetivo do post de hoje. ūüôā

Nota: Tanto a primeira vers√£o como a segunda s√£o ficheiros excel para perceberem as f√≥rmulas aplicadas. A √ļltima sheet chamada “Gloss√°rio” tem uma explica√ß√£o de cada KPI.

Até para a semana.

[Open Source] Entrevistas para Scrum Master – Todas as perguntas

Depois do √ļltimo post onde revelei um top 5 de perguntas que fa√ßo quando entrevisto um candidato para a vaga de Scrum Master… resolvi ir um pouco mais al√©m… e escrever um post com todas as perguntas que costumo fazer numa entrevista.

Enquanto andava √† procura do meu ficheiro com as perguntas acabei por “esbarrar” no meu material de training, de workshops, etc… que constituem o meu toolkit de Agile… e achei que faria todo o sentido disponibilizar o meu material √† comunidade.

Já recebi tanto da comunidade Agile que decidi fazer um contributo para mostrar todo o meu agradecimento.

Vou tornar o meu material “Open Source”… ou seja… vou disponibilizar todo o material que nunca tornei p√ļblico, em ficheiros edit√°veis (exemplo: word, excel, powerpoint), para utilizarem da forma que melhor acharem. ūüôā

Assim sendo vou disponibilizar 4 tipos de conte√ļdos:

  • Perguntas de entrevista
  • Forma√ß√£o
  • Workshops
  • KPIs

Hoje ficam online as perguntas (e as respostas) aqui.

N√≥s pr√≥ximos posts disponibilizarei os restantes conte√ļdos.

Até para a semana.

(Nota:¬†As imagens que eu utilizei no meu toolkit n√£o s√£o de minha autoria… e √© perfeitamente normal que reconhe√ßam conte√ļdos de outros autores.)