wrap up :: Codebits 2011

Apesar de ter sido escolhido para assistir ao evento não consegui reunir suficiente consenso para dar uma talk. Paciência, para o ano, se fizer sentido, tenta-se de novo. 🙂

Este ano foi o primeiro ano em que assisti ao evento. E não sei se por não ter nenhuma expectativa ou se por não ter pensado muito em como seria o evento tenho de admitir que fiquei completamente maravilhado.

Posso dizer sem hesitar que foi o melhor evento de TI a que assisti em território Português.

Foram 3 dias em que se respirou e transpirou (literalmente) tecnologia, com talks e um concurso de programação à mistura.
A Sapo está de parabéns, pois o evento não podia ter corrido melhor: desde o ambiente proporcionado, ao branding discreto, à alimentação e comodidades fornecidas, tudo foi perfeito.

O Celso Martinho (CTO da Sapo) disse que este tinha sido o melhor Codebits de sempre e pelo que eu vi, apesar de não ter assistido aos anteriores, não disse mentira nenhuma.

Os únicos pontos menos bons, na minha opinião, foi a (aparente) ausência de reciclagem, a pouca assistência às talks (pelo menos foi a ideia com que fiquei) e a dificuldade em obter um badge “Friend of Meo” (private joke :D).
O ponto alto do evento foi sem dúvida os “nuclear tacos”. É uma experiencia pela qual todos devemos passar, pelo menos uma vez na vida, e que quero repetir.

Acho que um dos “major achievements” do evento foi sem dúvida criar um ambiente com um “brand free” feeling mas com as marcas bem presentes: Sapo, TMN, Meo, O’Reilly, Microsoft, Lego, Sony Ericsson, etc.

A ideia dos “badges” também estava muito bem conseguida.

Resumindo, foi um evento excelente ao qual quero voltar para o ano que vem.

Até para a semana.

Codebits 2011

O Codebits 2011 terá lugar no pavilhão atlântico, em Lisboa, entre os dias 10 e 12 de Novembro de 2011.

Depois de ter uma conversa com amigos sobre o possível interesse (ou não) de uma talk sobre Scrum num evento deste tipo, resolvi propor uma.

A maior dificuldade que tive em relação à talk que propus foi não querer falar apenas do Scrum em si, pois é um assunto que já está bastante falado e corria assim o risco da talk ser um pouco monótona, sem nada de novo; gostava de falar de algo mais específico como por exemplo o papel do ScrumMaster e as diferenças para o típico Gestor de Projecto presente noutros modelos, como por exemplo o Waterfall.

Com receio de ter na plateia newbies no Scrum resolvi também explicar de forma rápida o Scrum, o Scrum numa nutshell.

Achei por bem colocar também no âmbito da talk algumas dicas de como começar a usar Scrum e como conseguir “vender” o Scrum numa empresa, pois foi dos tópicos que eu mais gostei de aprender e é dos que mais dá jeito para quem quer fazer um test-drive ao Scrum.

Após ter chegado à conclusão do âmbito tinha de evitar um título que fosse  muito sério e formal, como por exemplo: “O Scrum, o ScrumMaster e as diferenças para o Gestor de Projectos”.

É verdade que este título enquadra-se no âmbito da talk, mas digam lá se não tem bastante mais graça: “The Good, The Bad and the ScrumMaster”.

Este título, como é evidente, é inspirado no clássico filme “The Good, The Bad and The Ugly” ou em Português “O Bom, O Mau e O Vilão”.

O que é que poderá ser o Good? O Scrum ou a equipa por exemplo. O Bad? O Gestor de projectos tradicional, o Waterfall, o Cliente, o Product Owner, etc. O ScrumMaster? Essa é fácil. 🙂

Assim sendo espero no próximo Codebits ter a oportunidade de falar e discutir um pouco sobre Scrum, sobre o papel do ScrumMaster, de como é que o Scrum pode ajudar os projectos a ter mais sucesso e como é que se pode dar os primeiros passos no Scrum.

Fica aqui o link da minha proposta de talk:

http://codebits.eu/intra/s/proposal/209.

Até para a semana.