projectos agressivos

Durante o ano de trabalho, se tivermos sorte, temos sempre um período em que aparece um projecto agressivo.

E o que é um projecto agressivo?

É um projecto que quebra totalmente a rotina, impõe prazos curtos, requer o aumento temporário da equipa e absorve 200% da nossa atenção.

É um período em que andamos naturalmente mais cansados mas é daqueles momentos em que nos lembramos quanto interessante é a gestão de projecto e o porquê de termos seguido esta carreira profissional.

No final deste mês espero estar em condições de vos contar um pouco sobre o projecto aliciante e bem agressivo em que estou envolvido.

Até lá não se esqueçam de se divertir enquanto gerem os vossos projectos (ou desempenham as vossas funções dentro deles) visto passarmos a maioria do tempo da nossa vida “à volta” de projectos, pessoais e profissionais.

Até para a semana.

Anúncios

gestor ou secretário?

Durante a minha carreira como gestor de projectos posso afirmar que nunca geri mais do que 4 a 5 projectos em simultâneo. E posso desde já dizer que não consigo imaginar um gestor de projectos a gerir muitos
mais (em simultâneo). Cada projecto exige total dedicação, concentração e envolvimento e nenhum gestor de projectos consegue realmente gerir 8 ou 10 projectos em simultâneo.

E porquê?

Porque quem faz a “gestão” de 8 ou 10 projectos em simultâneo não tem tempo para se dedicar e envolver em todos. Vai sempre haver um em que nos desleixamos. E acabamos por deixar de ser “gestores” para sermos
“secretários” de projecto. Vamos ser realistas, ser-se gestor de projectos é muito mais do que mandar emails e fazer actas. Ora se temos 10 projectos em simultâneo, garantidamente faremos pouco mais do
que enviar emails e fazer actas de reunião. Então isso não é ser-se secretário? Claro que é! Não temos tempo para nos inteirarmos dos projectos, não conhecemos o seu âmbito e as suas equipas e basicamente
isto não é gerir.

A linha entre ser-se gestor e ser-se secretário é bastante ténue e passa basicamente pelo envolvimento da pessoa no projecto:

– Temos tempo e dominamos todos os aspectos de um projecto? Então
somos gestores desse projecto.

– Não temos tempo para saber quase nada do projecto e inclusivamente
esquecemo-nos dos requisitos do projecto? Então somos uns meros
secretários desse projecto.

Claro que podemos sempre argumentar que são as chefias que nos “atiram” com imensos projectos para cima de nós, mas se não partir de nós a iniciativa de dizermos que com 8 ou 10 projectos em simultâneo não conseguimos fazer uma gestão eficaz e eficiente de certeza que não vai partir de outro lado qualquer. E se partir da nossa chefia é
porque já estão desagradados com a nossa prestação e já prejudicamos a nossa imagem por termos estado a empurrar a gestão de cada projecto com a barriga.

Acredito que seja muito tentador utilizar sempre recursos e medidas aparentemente eficientes a curto prazo, mas nunca se esqueçam que mais tarde pagamos a factura… e é sempre no fim que se fazem as contas.

Até para a semana.