Entrevistas para Scrum Master

Em tempos o meu amigo Luis Gonçalves perguntou-me quais eram as perguntas que eu costumava fazer quando entrevistava um candidato para a vaga de Scrum Master.

Apercebi-me no outro dia que o TOP 5 das minhas perguntas foram publicadas no seu blog.

Para quem tiver curiosidade pode ver o meu TOP 5 aqui.

Para quem estiver com pressa aqui ficam (em Inglês) as perguntas:
1.Define me what an empirical process is
2.What is the difference between an iterative process and an incremental process
3.How can you manage risk with Scrum
4.How can you estimate an User Story? What types of estimates do you know? How about scales? And techniques?
5.Explain to me how story points works

Que acham? Difíceis? Fáceis?

Até para a semana. 🙂

 

AGILE TOUR LONDON 2016 :: VIDEO

Em Outubro de 2016 fui escolhido para ir ao Agile Tour London como speaker. Na altura apresentei a minha talk: “Scrum vs ScrumAnd vs ScrumBut: Which one are you doing?”

E no mês passado foi “avisado” que o video da talk estava disponível online no website da InfoQ.

Ainda não vi a talk toda (admito que não gosto de ver os meus videos) mas achei que o exemplo que eu dei do “Ikea effect” foi particularmente feliz. 🙂

Aqui fica o link.

Até para a semana.

 

 

 

 

 

Primeiro dia

Este foi o primeiro dia da Talkdesk Porto.

Já tinha feito muitas coisas na minha carreira… mas nunca tinha aberto um escritório.

Algumas das preocupações inerentes a esta responsabilidade são:

  • Localização
  • Estacionamento
  • Contratações
  • Logistica
  • Equipamentos
  • Fornecedores
  • Layout e decoração do espaço
  • Cultura

Tem sido uma aventura que começou com 2 meses em Lisboa (de Dezembro e Janeiro) e com o mês de Fevereiro entre Lisboa e Porto (a trabalhar a partir de casa).

Ontem, dia 28 de Fevereiro, para além do desastre do Amazon S3, foi também dia de preparação do escritório… para garantir que estava tudo pronto para o dia do arranque, 1 de Março.

Ontem no final dos trabalhamos brindou-se com cerveja… hoje foi com espumante! 🙂

Fica assim atingida a primeira milestone da TD Porto. A próxima é a mudança para a localização final algures na Baixa do Porto.

Aqui ficam algumas fotos para mais tarde recordar:
office view

beginning

first tables

many tables

tables and sofas

putting tables on the right places

beer celebration on the sofas

champagne celebration

P.S: Obrigado equipa. Mesmo num feriado não faltaram mãos para trabalhar!

P.S.2: E por falar em mãos… dei cabo da minha nas montagens…img_20170228_133006162

Até para a semana.

Aula Aberta IPLeiria :: Wrap Up

Como tive oportunidade de escrever no último post, ontem tive o prazer de ser o orador de uma aula aberta no Instituto Politécnico de Leiria.

A aula tinha como título “Scrum: From the Classroom to the Workplace, durou sensivelmente 120 minutos e abordei as implementações de Scrum no contexto de diversas organizações.

aula aberta leiria

Correu tudo muito bem e os alunos estiveram de parabéns.

O IP Leiria é um local fantástico e apesar de ser a segunda vez que lá fui não deixei de ficar impressionado com as suas instalações.

Para quem não conseguiu assistir aqui ficam os slides.

Deixo por fim umas fotos tiradas pela Catarina:

15203294_10210179581701770_4357361519146219216_n

15178279_10210179582701795_8875085400604973401_n

Até para a semana. 🙂

Aula Aberta IPLeiria :: Scrum: From the Classroom to the Workplace

É na próxima quarta-feira, dia 23, que vou ser orador no Instituto Politécnico de Leiria a convite da minha amiga Catarina Reis.

O tema da aula aberta será “Scrum: From the Classroom to the Workplace” e vou abordar os desafios em torno de implementações de processos ágeis nas organizações bem como a sua manutenção.

Aula Aberta IPLeiria - Scrum from the classoom to the workplace

Falarei de transições de Waterfall para Agile bem como de empresas que “nascem” ágeis.

Vou também abordar o impacto dos Millennials na actual workforce e de que forma se relaciona com o Agile.

Vou expor o meu ponto de vista sobre Agile em consultoria / prestação de serviços e também de Agile com sistemas legacy.

Por fim vou falar sobre outras práticas ágeis (a usar) quando o Scrum não é suficiente.

Até para a semana. 🙂

Agile Tour London 2016 :: Scrum vs ScrumAnd vs ScrumBut: Which One Are You Doing?

Foi na passada sexta-feira que aconteceu o Agile Tour London 2016, na etc.venues, perto das estações de metro de Victoria e Pimlico.

Fui apresentar a versão melhorada da talk que tinha dado no Agile Portugal 2016: Scrum vs ScrumAnd vs Scrumbut: Which One Are You Doing?

Tive a bela surpresa de encontrar os meus amigos Daniel Carrilho e Elsa Santos no evento. 🙂

As talks do evento foram bastante interessantes e a minha teve uma excelente receptividade.

Gostei particularmente do Antony Marcano que frisou que devemos dar mais importancia ao que fazemos na nossa organização e menos ao nosso “título” dentro da organização. Falou também da diferença entre expert e especialista… onde ele acredita que um expert é um “jack of all trades and master of some” enquanto um especialista é alguém que trabalha em exclusivo num determinado dominio de conhecimento.

A Anna Obukhova deu a excelente dica que um agente de mudança, um scrum master, um agile coach para ser eficiente tem de ter pelo menos mais 10% de energia do que o grupo com que está a trabalhar.

A Helen Lisowski falou de comunicação não verbal e de “power poses” (inclusivamente mostrou uma foto do “nosso” Durão Barroso).

O Simon Powers fez um recap deste ano em que abordou temas interessantes como: agile onion, shu ha ri, kokoro, autonomy, mastery, etc. Gostei particularmente quando o Simon deixou uma provocação em relação a algo que lhe foi dito num curso de empreendedorismo que tinha feito no passado: “Cash is King!”. Ele discorda desta afirmação porque na verdade para ele o que é importante não é o dinheiro mas sim: “The number of tries you get until you run out of cash is King!”

Finalmente o Ralf Jeffery explorou o tópico de MVPs e Lean Start Up e deu um excelente exemplo de MVP por parte de Henry Ford: “The T model is available in any colour as long as it’s black”. Henry não fazia ideia da receptividade do publico perante um veiculo com teto mas sem janelas para levar pessoas do ponto A para o ponto B… daí apenas ter lançado uma versão do carro em preto para testar o mercado.

Como podem ver foi um evento muito interessante com bastantes take-aways.

Aqui ficam umas fotos minhas em “acção”:
041f1e88-8c18-4268-b8d8-6bfb2f318bb5-original

_mg_0378Até para a semana.

Scrum Day Portugal 2016 :: [Pecha Kucha] The Hard Life of a Scrum Master

Aconteceu esta semana, no Porto, o evento Scrum Day Portugal 2016.

Foi a primeira vez que tive oportunidade de assistir ao vivo e a cores a pessoas que admiro muito como: Manny Gonzalez, Maria Matarelli e Chet Hendrickson.

Também gostei bastante de ver o Stuart Young (pela sua capacidade de representar visualmente numa folha as talks todas do evento) e o Huberts Smits (que faz questão de dançar Salsa antes de fazer uma talk).

Tive o prazer de dar uma Pecha Kucha com o tema The Hard Life of a Scrum Master. A outra Pecha Kucha foi dada pelo meu amigo Pedro Geada da Sky.

Foi a primeira vez que fiz uma apresentação neste formato (20 slides x 20 segundos) e posso-vos dizer que é um desafio ter os slides a rodar, automáticamente, de 20 em 20 segundos. Temos de praticar muito e saber exactamente o que dizer em cada slide.

Em relação ao ano passado estiveram menos pessoas presentes (terá sido do tempo? da localização? da data?) o que acabou por ser pena visto este tipo de eventos serem oportunidades únicas para aprender, ensinar, partilhar e fazer networking.

O evento foi muito bom, o que começa a não ser novidade, algo a que o Hugo Lourenço e o Peter Stevens já nos começam a habituar. 🙂

Aqui fica a representação visual do Stuart Young:
4b65a627-f5a1-4d0b-b893-48a17cffbd1d-large

E o zoom da parte referente aos Pecha-Kuchas:
pechakucha-scrumdayportugal2016

Até para a semana.